Inseminação artificial: comércio de sêmen bovino cresce 39% no 1º trimestre

O mercado de inseminação artificial de bovinos no Brasil tem ganhado espaço diante do crescente interesse dos criadores pelo melhoramento genético e maior produtividade em menor área. Atualmente, 20% dos rebanhos de fêmeas em idade de reprodução, de corte e leite, usam a técnica da inseminação artificial e o comércio de sêmen bovino aumentou 39% no primeiro trimestre de 2021, comparado ao mesmo período do ano passado.

Aliado ao baixo custo das tecnologias ofertadas, o setor comemora o bom resultado, que superou as projeções para esse início de ano. De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia), Márcio Nery, é preciso entender o cenário com a valorização do bezerro e da arroba, que começou na virada de 2019 para 2020. “Isso fez com que vários pecuaristas começassem a entender um pouco mais do impacto da genética dentro dos seus rebanhos”, disse.

Nery explica que o crescimento previsto para 2021 era de até 30%, mas o primeiro trimestre já aponta um crescimento de 35% e, no setor de corte, o crescimento foi ainda maior: 50%.
O gerente de operações da Associação Brasileira de Hereford e Braford, Felipe Azambuja, explica que o comparativo do primeiro trimestre deste ano com o do ano passado, houve 48% de acréscimo nas vendas em hereford e 56% na braford.

O crescimento também foi substancial para a raça angus, segundo Mateus Pivato, que é gerente de Fomento da Associação Brasileira de Angus. “Um destaque bastante grande para o sêmen produzido aqui no Brasil, que aumentou 53% a comercialização nesse primeiro trimestre, responsável por uma fatia de 29% de sêmen comercializado nesse primeiro trimestre”, disse.
Pivato explica que para cada dez doses de semên importados foram produzidas seis doses aqui no Brasil. “Isso é muito bom e mostra a valorização da genética produzida por nossos produtores e nossos selecionadores”.

Ciclo pecuário valorizado

Atualmente, de acordo com a Asbia, 64,7% dos municípios brasileiros utilizam a tecnologia da inseminação artificial no melhoramento dos rebanhos. Isso representa um crescimento de 12,9% em relação ao mesmo período no ano passado.

Tiago Carrara, gerente de Mercado da Alta Genetics, explica que o momento vivido atualmente é de alta no ciclo pecuário. “É natural que o pecuarista, em especial o pecuarista de cria, esteja investindo mais em tecnologias e isso é muito inteligente da parte dele. Ao investir em tecnologia, ele aumenta a produtividade e a inseminação artificial IATF [Inseminação Artificial em Tempo Fixo] é uma tecnologia já consagrada, utilizada há muito tempo e é de fácil aplicação, baixo custo e de resultados já comprovados”, falou.

De acordo com o presidente da Asbia, além de reduzir custos, o melhoramento genético proporciona uma produção mais sustentável. “É um insumo de baixo custo, permanente e que atua na ponta tanto do aumento de produção como na ponta de redução dos custos de produção, indo ao encontro da questão da sustentabilidade, que basicamente é produzir mais com menos”.

❗Vídeo publicado em 07/06/21 no programa Rural Notícias

✅ Gostou desse conteúdo?
✍ Deixe seu comentário
📢 Compartilhe com os amigos
✔ Siga o Canal Rural nas redes sociais:
Siga o Canal Rural nas redes sociais e receba conteúdos exclusivos:
Facebook: https://www.facebook.com/canalrural/
Instagram: https://www.instagram.com/canalrural/
Twitter: https://twitter.com/canalrural
LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/canalrural/

Acesse o site do Canal Rural e fique por dentro de todas as notícias do mundo agro:

http://www.canalrural.com.br

Assista ao Mercado & Companhia e ao Rural Notícias de segunda a sexta através do Canal Rural pela TV.

Assista também pela sua TV:
NET: 185 e 685
Sky: 164
OiTV: 179
ClaroTV: 185
Parabólica Analógica: banda C na Star One C2
Parabólica Digital: Star One C2

#pecuária #inseminação #boi

You May Also Like